Domínio da Ira

Tão comuns se te fazem a irritabilidade e o reproche, que estás perdendo o equilíbrio, o discernimento sobre o limite das tuas forças. Habituas-te à reprimenda e à contrariedade de tal forma, que perdes o controle da emoção, deixando de lado os requisitos da urbanidade e do respeito ao próximo.

Freqüentemente deixas-te arrastar pela insidiosa violência, que se te vai instalando no comportamento, passando de um estado de paz ao de guerra por motivo de somenos importância. Sem te dares conta, perdes o contato do amor e passas a ser temido, por extensão detestado.

A irascibilidade gera doenças graves, responsáveis por distonias físicas e mentais de largo alcance. Da ira ao ódio o passo é breve, momentâneo, e o recuo difícil. Tem tento, e faze uma revisão dos teus atos, tornando-te mais comedido e pacificado.

Ouve quem te fala, sem idéia preconcebida. Desarma a emoção, a fim de agires com imparcialidade. A idéia preconceituosa abre espaço mental à irascibilidade. É necessário combater com ações mentais contínuas, as reações que te assomam entorpecendo-te a lucidez e fazendo-te um tresvariado.

A reflexão e o reconhecimento dos próprios erros são recursos valiosos para combater a irritação sistemática.Tem a coragem de reconhecer que erras, que te comprometes, não te voltando contra os outros como efeito normal do teu insucesso.

A ira cega, enlouquece. Provocando uma vasoconstrição violenta no sistema circulatório, leva à apoplexia, ao enfarto, à morte.  Um momento de irritação, e fica destruída uma excelente Obra.

O trabalho de um período demorado reduz-se a cinzas, qual ocorre com a faísca de fogo atingindo material de fácil combustão. A ira separa os indivíduos e fomenta lutas desditosas.

Estanca o passo e retrocede na viagem do desequilíbrio.  Recorre à oração. Evita as pessoas maledicentes, queixosas, venenosas. Elas se te fazem estímulo constante à irritabilidade, ao armamento emocional contra os outros. A tua vida é preciosa, e deves colocar todas as tuas forças a serviço do amor.

Desde que és forte, investe na bondade, na paciência e no perdão, que são degraus de ascensão. Para baixo é fácil, sem esforço, o processo de queda. A sublimação, a subida espiritual, são o desafio para os teus valores morais. Aplica-os com sabedoria e fruirás de paz, aureolado pela simpatia que envolve e felicita a todos.

Ademais, a ira é porta de acesso à obsessão, à interferência perniciosa dos Espíritos maus, enquanto o amor; a doçura e o perdão são liames de ligação com Deus, plenificando o homem.

Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Psicografia de Divaldo Pereira Franco. Da Obra: Momentos de Felicidade. Salvador, BA: LEAL, 1990.
Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: Geraldo V Laps

1 Comentários:

  1. Segundo nosso bem amado André Luiz no livro Sinal Verde parte 3 ela fala...

    NOS DOMÍNIOS DA VOZ
    Observe como vai indo a sua voz, porque a voz é dos instrumentos mais importantes
    na vida de cada um.
    A voz de cada pessoa está carregada pelo magnetismo dos seus próprios
    sentimentos.
    Fale em tonalidade não tão alta que assuste e nem tão baixa que crie dificuldade a
    quem ouça.
    Sempre aconselhável repetir com paciência o que já foi dito para o interlocutor,
    quando necessário, sem alterar o tom de voz, entendendo-se que nem todas as pessoas
    trazem audição impecável.
    A quem não disponha de facilidades para ouvir, nunca dizer frases como estas:
    "Você está surdo?", "Você quer que eu grite?", "Quantas vezes quer você que eu fale?" ou
    "já cansei de repetir isso".
    A voz descontrolada pela cólera, no fundo, é uma agressão e a agressão jamais
    convence.
    Converse com serenidade e respeito, colocando-se no lugar da pessoa que ouve, e
    educará suas manifestações verbais com mais segurança e proveito.
    Em qualquer telefonema, recorde que no outro lado do fio está alguém que precisa
    de sua calma, a fim de manter a própria tranqüilidade.

    Ainda caio em provocações,mas lembro deste ensino e tento moderar este orgão tão pequeno, mas que queima vastas àreas da vida, a lingua!
    Um grande abraço fraterno.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *