Contato direto com os espíritos


Escrito por Victor Rebelo  - (RCE - Setembro de 2011)

A doutrina espírita surgiu com base nas pesquisas e experimentações – apesar de não serem reconhecidas pela Ciência – de Allan Kardec, o codificador.


Muitas informações que ela nos traz não são novas. Vários povos, nos mais distantes pontos do planeta e em diversas épocas, já eram possuidores de certas revelações trazidas pelos espíritos, pois a mediunidade não é exclusividade do Espiritismo. Por isso, a Revista Cristã de Espiritismo, apesar de ter como ponto de partida a codificação, também procura apresentar outros conceitos espiritualistas, a fim de que o leitor possa aprofundar seus conhecimentos gerais na área da espiritualidade.


No Oriente, sempre se buscou o contato interior com a espiritualidade, mas a mentalidade materialista do Ocidente, aguçada pelos avanços científicos do Século XIX, não aceitava nenhuma religião que não passasse pelo mesmo processo de investigação empírica da Ciência. Por isso, foi instaurado, na América e Europa, partindo do mundo espiritual, o movimento espírita, com o objetivo de, à princípio, provar cientificamente, pelos fatos que se apresentavam, a existência do mundo espiritual e dos espíritos. Uma vez demonstrada sua realidade, viria o objetivo mais nobre desta doutrina: consolar a alma humana!


William Crookes, Ernesto Bozzano, Léon Denis, Kardec – além de outros grandes pesquisadores – analisaram as comunicações com os espíritos, atestando sua veracidade. Hoje, raros espíritas realizam pesquisas; alguns, através da Transcomunicação Instrumental, vêm obtendo bons resultados.
Assim também é com as práticas e técnicas de projeção astral. Para os “kardecistas” – ou seja, dogmáticos – já demonstramos que Kardec jamais condenou sua prática (veja no capítulo sobre Emancipação da Alma, em O Livro dos Espíritos). Muito pelo contrário: colocou a projeção fora do corpo como algo natural, uma capacidade do espírito, independente de religião. Até os animais se projetam!


Portanto, seja através de pesquisas ou por meio de técnicas e práticas individuais, precisamos manter um contato mais direto com os espíritos. Ainda que nem todos sejamos médiuns ostensivos, todos sentimos em maior ou menor grau a influência dos espíritos. Práticas de bioenergia, técnicas para desenvolver a clarividência... tudo isso independe da mediunidade em si.


Claro que o desenvolvimento da nossa sensibilidade parapsíquica deve ser natural, com muito estudo e acompanhamento, mas, não basta praticarmos um “Espiritismo sem espíritos”. Estudar ou saber de cor os conceitos espíritas é pouco. Transcenda seus limites! Exerça sua mediunidade, procure aprender sobre projeção astral, aprenda técnicas para harmonizar a aura ou desenvolver a clarividência... Os que nunca se aprofundaram vão dizer que é perigoso. Não desista! Ao contrário, procure ler a respeito e busque aprender com quem tem experiência.


Cabe a cada um de nós tirarmos grandes lições para o nosso crescimento e servirmos como ferramentas mais úteis ao progresso da humanidade.


Paz, Amor e Harmonia!
Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: CELESFA

1 Comentários:

  1. Boa noite Fabiano?
    A mediunidade é algo bastante interessante, na infância temos nossos “Amigos Imaginários” (eu em particular os tenho até hoje!) nossos pais levaram anos para fazer com que acreditássemos que era ilusão, passamos adolescência sentindo falta de alguém que não sabemos explicar quem é , e por que sentimos falta desta pessoas se não lembramos dela.
    Chegamos a fase adulta e tudo é fácil, nos livramos das amarras e vamos a luta!
    Grande ilusão, começamos novamente em todos os momentos sentir aquela falta, daquele alguém inexplicável, ninguém consegue suprir aquela falta...
    Depois de alguns tombos e o coração bastante partindo chegamos a casa espirita e depois de alguns meses de escola descobrimos que nossos amigos imaginários eram nossos mentores, alguns obsessores, ou mesmo alguém tentando nos falar algo...
    Bem torno a dizer a mediunidade é algo bastante interessante, Allan Kardec codificou nosso espiritismo, vieram tantos irmãos de luz nos trazer mensagens e ainda não sabemos a metade do que iremos descobrir, rss.
    O Victor Rebelo tem belos textos.
    Grande abraço.Paz e Luz a todos nós.
    Miriam

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *