Evangelizacao - O papel da crianca e do jovem - II

Continuação do artigo Evangelização - O papel da criança e do jovem - I - Entrevista de Divaldo Pereira Franco (em 1982) sobre a Evangelização infanto-juvenil :

Divaldo Pereira FrancoDivaldo Pereira Franco - Image via Wikipedia

05. Existem condições mínimas para que alguém possa desempenhar a tarefa de evangelização? Quais seriam?
 
Não pretendemos estabelecer regras de comportamento doutrinário, que já se encontram muito bem apresentadas no corpo da Doutrina Espírita, e, em particular, na excelente página “o homem de bem” e a seguir “O Evangelho segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec .

Não obstante, a pessoa que deseje desempenhar a tarefa de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil deve possuir conhecimento da Doutrina Espírita e boa moral como embasamento para a tarefa que pretende. 

Como necessidade igualmente primordial, deve ter conhecimentos de Pedagogia, Psicologia Infantil, Metodologia, sem deixar à margem o alimento do amor, indispensável em todo cometimento de valorização do homem. Aliás, a programação para a preparação de evangelizadores infanto- juvenis tem tido preocupação em oferecer esses elementos básicos nos Encontros e Cursos que são ministrados periodicamente em diversas regiões do país sob a orientação da FEB.

06. Que papel cabe aos espíritas de um modo geral, isto é, àqueles que não atuam diretamente na Evangelização Espírita Infanto-Juvenil, para o crescimento e maior êxito dessa tarefa?

O de divulgar este trabalho importante, estimulando os pais para que encaminhem, quanto antes, os seus filhos à preparação e orientação evangélico-espírita, de modo a contribuírem significativamente para os resultados que todos esperamos. Da mesma forma, exemplificarem, levando os filhos às aulas hebdomadárias e mantendo, no lar, a vivência espírita, que ainda é a melhor metodologia para influenciar mentes e conduzir sentimentos.

07. Que orientação os Amigos Espirituais daria, aos pais espíritas em relação ao encaminhamento dos filhos à Escola de Evangelização dos Centros Espíritas?  

Informa-me Joanna de Ángelis que, na condição de pais e orientadores, temos a preocupação de oferecer a melhor alimentação aos filhos e aos nossos educandos; favorecê-los com o melhor círculo de amigos; vesti-los de forma decente e agradável; encaminhá- los aos melhores professores, dentro da nossa renda; proporcionar- lhes o mais eficiente médico e os mais eficazes medicamentos quando estejam enfermos; conceder-lhes meios para a manutenção da vida; encaminhá- los na profissão que escolham... 

É natural que, também, tenhamos a preocupação maior de atendê- los com a melhor diretriz para uma vida digna e um porvir espiritual seguro, e esta rota é a Doutrina Espírita. Portanto, encaminhemo-los às Escolas de Evangelização dos Centros Espíritas, ou, do contrário, não estaremos cumprindo com as nossas obrigações.

08. Que recursos poderiam ser, ainda, acionados para expandir a tarefa de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil?

Maior e mais constante contato entre evangelizadores e pais, a fim de os conscientizar da alta
responsabilidade que a estes últimos diz respeito, pedindo ajuda e num intercâmbio freqüente, já que ambos são interessados na formação moral e espiritual da criança e do jovem. Seria, também, muito válido, que os resultados da Evangelização Espírita Infanto- Juvenil fossem mais divulgados nos Centros Espíritas e se insistisse mais na colocação de que todo bem feito à infância se transforma em bênção no adulto.

09. Qual o papel da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil na expansão do Movimento Espírita no Brasil?

Muito importante esse papel. Graças ao trabalho preparatório que se vem realizando, há anos, junto à criança e ao jovem, é que encontramos uma floração abençoada de trabalhadores, na atualidade, que tiveram o seu inicio sadio e equilibrado nas aulas de evangelização espírita, quando dos seus dias primeiros na Terra...

Este ministério de preparação do homem do amanhã facultará ao Brasil tornar-se realmente ‘O
coração do mundo e a Pátria do Evangelho”, conforme a feliz ideação do Espírito Humberto de
Campos, por intermédio de Francisco Cândido Xavier, traduzindo o programa do Mundo Maior em referência á nação brasileira.

10. Que espécie de colaboração pode o Brasil oferecer a outros países na área de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil?

A da experiência tornada realidade, conforme já vem ocorrendo desde quando foram tomadas
providências para que a América Latina participasse do cometimento da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil, publicando-se o material em castelhano e distribuindo-o gratuitamente por diversos países e conforme recentemente ocorreu, em Cartagena de Índias, na Colômbia, por ocasião do Congresso Espírita Pan-Americano, quando, terminado aquele conclave, a FEB ministrou um curso de preparação de evangelizadores com resultados muito felizes, conforme foi possível constatar, muito recentemente, naquela cidade.
 
Salvador, 23 de agosto de 1982
 
Divaldo Franco 

Fonte : CVDEE

Comentários

  1. Geraldo querido,
    A boa educação deve começar com a espiritual. Sem esse desenvolvimento, as crianças de hoje não serão adultos bondosos...hoje penso muito nisso.
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  2. "Eduque as crianças para que não seja preciso punir os adultos."
    A evangelização é certamente um dos trabalhos mais importantes em uma casa espírita e nossa casa tem conseguido estabelecer a evangelização infantil e juvenil de maneira muito séria e com muito, muito amor!!!
    É um orgulho ver este texto publicado em nosso blog!

    ResponderExcluir
  3. Já nós diria Divaldo Franco, “a criança evangelizada torna-se jovem digno, transformando-se em cidadão do amor, com expressiva bagagem de luz para toda a vida, mesmo que transitando em trevas exteriores”.
    “Quem educa plasma hábitos, quem instrui prepara para a vida, quem evangeliza salva. A Humanidade sempre se desenvolveu através da obra emérita da educação infanto- juvenil.”
    Evangelizar é amar, é o exercício do amor com o próximo e consigo. É semear o bem em terreno propício a semeadura.
    Bom ler este artigo aqui.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo11:13 AM

    A Menina que mofou nas férias é comentada, assim como "A morte é uma piada" (peça espírita)
    Veja em
    Teatro nas Férias « Renato Prieto
    http://renatoprieto.wordpress.com/2011/01/11/teatro-nas-ferias/

    renatoprieto.wordpress.com/2011/01/11/teatro-nas-ferias/

    ResponderExcluir

Postar um comentário