A eutanasia de animais na visao espirita - parte I

O artigo de hoje, desdobrado em duas partes, atende a uma visitante aqui do blog, que quis informar-se melhor sobre este importante tópico : A eutanásia de animais na visão espirita.

Achamos um bom texto no site Comunidade Espírita, com respostas do Médico Veterinário Marcel Benedetti (recentemente falecido), as parte sairão em dias consecutivos para melhor leitura e aprendizado.

O assunto é Eutanásia

"Os animais estão isentos da lei de ação e reação, em suas motivações profundas, já que não têm culpas a expiar." (Emmanuel)

P: O que você pensa da eutanásia aplicada nos animais?

R: Acredito na eutanásia como meio de aliviar-lhes um sofrimento que não se pode aliviar com os métodos terapêuticas convencionais. Mas note que não há restrições desde que seja praticado por um profissional devidamente apto, ou seja, um médico veterinário que, segundo a legislação e segundo a recomendação do próprio Emmanuel, mentor de Francisco Cândido Xavier, é a única pessoa capaz de avaliar esta necessidade. O veterinário também é a única pessoa habilitada a manipular as substâncias próprias deste procedimento com segurança, de modo brando e sem sofrimento. Ele usará uma anestesia que tirará a consciência do animal e provocará uma sedação para, em seguida, aplicar uma outra substância capaz de provocar a parada cardíaca.

A interrupção da vida de um animal por qualquer motivo que seja e não vise ao alívio de algum sofrimento recebe outro nome: assassinato. Tirar a vida de um animal futilmente é motivo de condenação nossa e certamente teremos de responder por atitudes como esta posteriormente.

"O Espírito do animal é classificado, após a morte, pelos Espíritos que a isso compete, e quase imediatamente são utilizados." (Espírito da Verdade).

P: Tive de sacrificar uma pastora de 13 anos que estava com câncer, mas isso me pesou muito. Fiquei triste e até arrependida. Queria saber se ela sofreu muito com este procedimento e como é a vida espiritual dos animais.

R: Quando o animal sofre muito em função de alguma enfermidade degenerativa que não poderá ser curada com os meios terapêuticos disponíveis e o sofrimento já se configurou como algo insuportável, o melhor é a eutanásia, que é uma conduta terapêutica que visa aliviar o sofrimento. Por meio dela são feitas aplicações de substâncias que provoquem uma parada respiratória e cardíaca. No entanto isso somente é feito após a aplicação de um sedativo potente que desconecte a consciência do animal da realidade, para que não sofra no momento em que a substância letal esteja agindo. Este procedimento apenas pode ser feito por um médico veterinário, da maneira mais adequada e para que não haja sofrimento ao animal. O animal e o médico que age neste sentido nunca estão sozinhos. Sempre há uma equipe espiritual acompanhando os procedimentos de eutanásia visando a um retorno tranqüilo dos animais ao mundo espiritual, onde serão preparados para a nova experiência que se seguirá, em outra reencarnação que lhe será oferecida.

Uma vez entrando na dimensão espiritual, são assistidos de perto e acompanhados com toda a atenção possível, e seu retorno poderá ocorrer rapidamente ou não.

O espírito não sente dor nem sofre como sofria quando encarcerado no corpo físico. Estando livre do físico, a recuperação da saúde é imediata.

"O Espírito do animal (na dimensão espiritual)... não tem tempo de se colocar em relação com outras criaturas."Espírito Verdade)

P: Sou veterinária e tenho uma dúvida importante. O que fazer quando aparece um animalzinho doente, sofrendo em fase terminal. Posso fazer eutanásia ou não, segundo a visão espírita?

R: Para os animais não é levada em grande consideração a lei de causa e efeito como é para os seres humanos. Para nós é importante que vivamos cada segundo até o derradeiro, mas para os animais esta lei não exige deles retratações e pagamento de dívidas porque eles são como crianças. Não podemos cobrar de uma criança a atitude ou responsabilidade de um adulto. Os animais vivem no mundo físico para adquirir experiências de vida que contribuam para esta evolução e como eles não possuem tais débitos elevados com aquela Lei, a eutanásia, quando os animais estão passando por casos extremos de sofrimento, não havendo como se recuperar desta dor, tendo sido tentados todos os meios conhecidos e possíveis de amenizar-lhe tal sofrimento, é um método terapêutico. Interrompemos uma vida de sofrimento para que renasçam em um novo corpo sadio e completo para retomar as suas experimentações.

A eutanásia já está nos planos dos Espíritos superiores que cuidam dos animais e que a incluem como meio de aliviar-lhes os sofriimentos.

"A alma dos animais conserva a individualidade depois da morte." (Allan Kardec)

Continua na parte II (em breve)

Comentários

  1. Ótima matéria!
    Cada vez mais estamos ligados aos animais, chegando a amá-los como pessoas da família! Certamente que nos preocupamos com o que acontece com eles após a morte.Eu peço a Deus que sempre mantenha meus cachorrinhos próximos de mim, mesmo após sua morte, para que possamos caminhar juntos em busca de nossa evolução, cada um no seu grau.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo post, é um assunto muito interessante, na minha opinião, muito pouco estudado ....
    Aguarderei ansiosa a parte II.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo post, é um assunto muito interessante e , na minha opinião, muito pouco estudado... Aguardarei ansiosa a parte II.

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada por terem postado esse assunto. Agradeço do fundo do coração. Se não se importarem, vou colocar uma parte do texto no blog que estou criando (http://ouvindotrigueirinho.blogspot.com)

    Muita luz pra vocês

    ResponderExcluir
  5. Estou sofrendo muito, pois ontem tive que optar por este destino para minha gatinha de 16 anos que teve um câncer. Demorei a tomar esta decisão, mas estava vendo meu bichinho não tendo condições de ficar em pé, emagrecendo e rejeitando a comida, além das feridas que ocupavam o corpo todo e dificuldade respiratória. Os remédios não estavam tirando toda a dor que ela sentia...doeu muito, mas tive que trocar o sofrimento dela pelo meu, de optar pelo fim...ainda não consigo ver como a atitude mais correta em meu coração, pois a saudade é absurda.Tenho 24 anos e ela acompanhou toda minha vida.

    ResponderExcluir
  6. Estou em um dilema muito grande,eu possuia 4 caes sendo uma da raça bull terrier e outra pit bull,a tres meses atras aconteceu uma tragedia em minha casa e aconteceu que a pit bull levou um tiro,graças a deus ela nao morreu e nao ficou com sequelas,mas infelizmente as cenas de violencia chocaram tanto os bichos que depois disso começaram a se estranhar,foi onde ontem durante o periodo que nao tinha ninguem em casa as duas cachorras se estranharam e quando cheguei em casa a pit bull tinha matado a bull terrier,era sangue pra todos os ladoos...eu tenho mais 2 caes vira latas e raças pequenas aos quais a cachorra nao fez nada contra,nao entendo ainda o que aconteceu....pois eram caes altamente doceis e carinhosas umas com as outras,conviviam a mais de 5 anos juntas,a que morreu foi a mae adotiva da que matou...me ajudem a entender ou a me dar uma opiniao no que devo fazer,eu nao confio em doar a cachorra pois pode acontecer algo pior...nao sei....quanto a bull terrier enterrei ela proximo da praia...que era o lugar que ela mais amava.....espero que ela tenha gostado....se pudessemoos falar com eles e pelo menos se eles pudessem saber o quanto nos os amaremos eternamente......obrigada a todos!!! Podem enviar e mail para olivamarli2010@hotmail.com
    Serao sempre meus eternos amados animais!!!!

    ResponderExcluir
  7. Muito boa matéria! Sempre válido podermos nos instruir com relação a assuntos tão delicados e, muitas vezes, polêmicos. Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo12:01 PM

    Paulo Luiz Mendonça.
    Email, pauloluiz41@hotmail.com


    Que bom seria.
    Que bom seria,
    Se não houvesse carcaça
    E nem houvesse fumaça,
    Nem brasa na churrasqueira.
    Os nossos irmãos animais
    Sem dores e medos reais
    Vivendo suas vidas inteira.

    Que bom seria.
    Não ver o sangue correr,
    Nenhum animal perecer
    Ave, suíno, e ruminante.
    Sem urros e sem gemidos,
    Sem animais perecidos
    No fio de um aço cortante.

    Que bom seria,
    Sem nada de violência,
    Nem mesmo interferência
    Somente uma vida plena.
    Entre os seres racionais
    E também entre animais
    A paz reinasse serena.

    Que bom seria,
    Se isso não fosse utopia,
    Nem mesmo uma fantasia
    Na tão sonhadora ilusão,
    Mas me entristece a maldade,
    Mesquinhos poder que invade
    Os descendentes de adão.

    Que bom seria,
    Sem animais como detentos,
    Em grandes confinamento
    Criados pra serem abatidos.
    De maneira tão desumana
    Feitos por mentes insanas,
    De Humanos embrutecidos.

    Que bom seria,
    Se houvesse luz e beleza,
    Que desse a nós a certeza
    Da paz é a doce vivencia.
    Tudo na terra seria candura,
    As almas seriam mais puras
    Com uma vida sem violência.

    Que bom seria.
    Sem a nossa mesquinhez,
    Sem nenhuma estupidez
    Ao tratar nosso semelhante.
    Os nossos irmãos menores,
    Já provaram e são melhores
    Que a nossa mente arrogante.

    Pra que serve a inteligência,
    Que só nos causa carência
    Na vivência do dia a dia
    Fico pensando desolado,
    Dizendo a mim mesmo calado,
    Que bom seria, que bom seria.

    Paulo Luiz Mendonça.

    Nosso passado.

    No passado onde nascemos
    E que nós todos vivemos,
    Num tempo bem divertido
    Pois tudo que tinha outrora,
    Hoje tudo foi se embora
    Tudo de bom foi esquecido.

    Eu lembro do meu passado.
    Com meus pais a meu lado,
    Dando-me amor e bondade
    Hoje me encontro sozinho,
    Perdido excluído do ninho
    Somente a tristeza me invade.

    No passado tinha respeito
    Os homens eram direitos
    Não tinha mal entendido
    Esqueceram a educação
    Tudo esta na contramão,
    O mundo esta decaído.

    No meu tempo de escola,
    Nem se pensava em bola
    Não se esquecia a lição.
    Hoje o moleque atrevido
    Vivendo no mundo falido
    Sem a dádiva da educação.

    Vizinhos se conversavam,
    Sempre se comunicavam
    Com toda paz e harmonia.
    Hoje nem se conhecem,
    O seu nome até esquecem
    E as ruas todinhas vazias.

    O sol já estava entrando,
    Muitos visinhos chegando
    Pra conversar no portão.
    Tudo isso ficou no passado
    Todos em casa enfurnados
    Em frente a televisão.

    Os programas que tem agora,
    Nem se compara os de outrora
    Na pureza e simplicidade.
    Um canal só crimes na tela
    No outro infames novelas
    Dando ao povo mediocridade.

    Sei que isso é caso perdido,
    Não pode ser mais corrigido
    O que vale é poder e dinheiro.
    Nosso cérebro já foi deturpado
    O mal já foi todo implantado
    Na mente de nós brasileiros.

    Paulo Luiz Mendonça.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo11:36 AM

    minha gata persa 14an internada faz 3 dias, cancer nos dois rins, teve parada cardiaca foi ressucitada, mas ta tb com uma doença que desprende orgaos hj no meu colo qdo fui ve-la mijou meu colo e teve uma parada, tem espasmo ue dizem q a dor e insuportavel, medica indicou eutanasia, mas hj c ela meu colo n tive coragem

    ResponderExcluir
  10. Anônimo11:32 PM

    Foi bom ler o blog, hoje tive que pedir a veterinária que sacrificasse o cão da família, durou 15 anos, mas para comer tinhamos que dar em sua boca, água também, até caminhava, mas se debata quando caia e ficava todo machucado, a veterianária disse que ele estava cardíaco e com falta de ar e seria dalí para pior. Estamos muito tristes,mas não queriamos mais vê-lo sofrendo.

    ResponderExcluir
  11. Obrigada por eles post! Esclarecedor!

    ResponderExcluir
  12. Agradeço por esse post me ajudou a aceitar a partida da minha pequena e amada Brida, minha gata de 9 anos que fez a alegria de todos durante esses anos.Farei hoje a eutanásia com a certeza de que não haverá sofrimento pra ela. Ficará para sempre comigo o amor que existe entre nós.

    ResponderExcluir
  13. Hoje tive a certeza de fazer a eutanásia em minha filha Brida muito amada, gata de 9 anos que foi tudo em nossas vidas. O fato de vê-la sofrendo sem movimentos, sem comer, sómente na sonda a mais de um mes e após tentar tudo decidi. Ela merece ser libertada desta dor. Foi muito amada e cuidada por todos. Não posso mais ver ela se urinando e toda molinha com a respiração fraca. Me dói demais.Peço aos espiritos de luz que a auxiliem nessa passagem.

    ResponderExcluir

Postar um comentário