Suposições e crendices atribuidas ao Espiritismo

Assistir o programa Fantástico da Rede Globo ontem (21/03) foi como navegar em mares da desconfiança a respeito do que as pessoas conhecem da Doutrina Espirita.

A reportagem visava pesquisar atendimentos em clinicas da medicina ortomolecular, em todos os casos, a produtora chegava com a seguinte história: Desânimo, queda de cabelo, problema de memória, dormindo mal, eu tive depressão . Não nos cabe aqui analisar os outros casos, apenas este diálogo abaixo:

Médico: A sua mãe ou a sua avó materna ou seu marido, ou você, frequentaram espiritismo. 
 
Produtora: O senhor está vendo no meu sangue que eu tive contato com espiritismo ou a minha família?

Médico: Isso eu não descobri em livro, não. Isso é uma descoberta minha.

Produtora: Mas o que o espiritismo tem a ver com meu sangue e com o processo degenerativo?

Médico: Só dá isso nesses casos. Essas coisas só dão nesse caso. Tem duas cores que você não pode usar: nem marrom nem preto. Você vai dizer: ‘Pô, além de médico, o cara é maluco!’. Mas preto e marrom são a cor do ocultismo.

Vamos aos fatos: Espiritismo não é ocultismo!!!

Ocultismo (ou Ciências Ocultas) é um conjunto de teorias e práticas cujo objetivo seria desvendar os segredos da natureza, do Universo e da própria Humanidade. O ocultismo trata de um tipo de conhecimento que está além da esfera do conhecimento empírico, o que é sobrenatural e secreto. Não é aceito pela comunidade científica por não compartilhar de suas metodologias. O ocultismo está relacionado aos fenômenos sobrenaturais. Ou seja, são conjecturas metafísicas, e teológicas, algumas das quais oriundas de povos da Antigüidade Clássica.

Espiritismo 1. Neologismo também criado por Allan Kardec, por indicação dos Espíritos, para diferenciação com o termo "espiritualismo", mais genérico e que indica o oposto do materialismo. 2. Doutrina filosófica, científica e de conseqüências morais, fundada sobre a crença na existência dos Espíritos, tratando da imortalidade da alma, da natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, das leis morais, da vida presente, da vida futura e do futuro da Humanidade, segundo o ensinamento dado pelos Espíritos Superiores com a ajuda de diversos médiuns.

Usar a palavra Espiritismo para denominar qualquer outra prática, mesmo respeitável, que faz coisas que nada tem a ver com ele, é o mesmo que chamar a mistura de limão, açúcar e água de LARANJADA, quando o nome correto seria LIMONADA, uma vez que laranjada só pode ser laranja, açúcar e água.

Encontramos pessoas inconsequentes, como o padre Quevedo, sempre vinculando superstições e crendices aos espíritas que, muito pelo contrário, estão muito distantes disso. Espírita nenhum tem medo ou dá qualquer importância a sexta-feira 13, passar debaixo de escadas, vestir-se ou deixar de vestir-se com determinadas cores, discriminar gatos por causa da cor, seja preto, branco ou qualquer outra... enfim, não tem crendice nenhuma no Espiritismo e muito menos medos.

Deu para ver a diferença?  Atribuir acontecimentos que não se conhece ao Espiritismo é fácil, o dificil é falar corretamente sobre os fundamentos da Doutrina Espírita. Isto tudo dentro do conceito da análise de uma gota de sangue retirada do dedo da produtora. 
Quantos tem a mesmo a opinião incorreta? Muitos, com certeza, este ano com os filmes de temática espirita, quem sabe coloquem um pouco de luz na correta interpretação da obra de Kardec.

 (Com informações do Programa Fantástico/Rede Globo e IPEPE)

Sobre o Autor:
Geraldo Laps Diretor responsável pela Diretoria de Formação Doutrinária (DFD) do CELE. Editor e criador do Blog do Cele

Comentários

  1. Eu não acreditei qdo vi essa matéria no Fantático... há tempos deixei de ver esse programa e depois de uma matéria como essa lembrei-me qual foi o motivo ...

    ResponderExcluir
  2. Eu vi essa entrevista no domingo e fiquei totalmente indignada como o nome da nossa Doutrina é vinculada a tantas barbaridades!só mesmo a informação pode salvar! e espero que os filmes sejam a porta de abertura para essas informações aos leigos...

    ResponderExcluir
  3. Olá Geraldo,

    O que me deixa trista é que em programas com uma grande audiência sejam tratados assuntos sérios de uma maneira tão leviana. Isso acaba por induzir em erro as pessoas que não têm meios ou curiosidade para pesquisar sobre as diferenças.

    Abraços
    Luísa

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante. Gostei do modo em que colocam as coisas.
    Meu blog é de ocultismo , se quiserem

    dar uma olhada lá depois, é:

    http://oguardiaodosetimoselo.blogspot.com

    Abraçõs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário