Desapego


Quantos estamos presos
A grilhões invisiveis?

Esse está preso ao campo
Que comprou por milhões.

Outro prendeu-se à fama
Que lhe consome a vida.

Aquele lembra um louco
Em algemas de ouro.

Há quem faça do amor
Um cativeiro em trevas.

Se queres paz em Deus,
Desapega-te e ama.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caminhos. Ditado pelo Espírito Emmanuel. 2 edição. Jabaquara, SP: CEU. 1981.

Comentários