Quem é o CELE?


Olá pessoal

Continuando a série "Quem é o CELE?", onde apresentamos nossos trabalhadores, reproduzimos aqui a entrevista com o Adroaldo, um dos fundadores do Cele, que fala sobre tia Nair, Reiki e harmonização.



A canalização da energia amorosa

“Quem não é bom para os seus, não é bom para os outros”, é o conselho de Adroaldo Adão de Oliveira, um dos fundadores do Cele. Homem de temperamento forte, é daquelas pessoas a quem podemos chamar verdadeiramente de amigo, aquele que está sempre pronto a auxiliar, mas que, quando precisa dizer umas verdades, fala mesmo. Pode até ser considerado polêmico pela franqueza na hora de manifestar opiniões ou até um descontentamento, porém, em pouco mais de uma hora de conversa, deu para perceber que tem um poderoso coração. Com seu jeito sério, porém humorado, Adroaldo fala sobre seu trabalho junto ao Cele.

Nossa entrevista aconteceu na cabine da Tia Nair. Talvez não tenha sido por acaso, pois essa personagem ilustre que pouca gente conheceu, é tia de Adroaldo. Ela continuou colaborando com o grupo mesmo após falecer, dando todas as instruções de como seria o Cele, relata o trabalhador. Ao rememorar o jeito simples de tia Nair, Adroaldo comenta ter sido o responsável por levá-la a um centro espírita.

- Hoje ela é mais importante do que eu . Eu reclamo pra ela, “Pô eu que te levei. Fiz de tudo pra te levar para o centro espírita. Hoje tá teu nome e o meu nem aparece”, eu mexo com ela. - brinca Adroaldo.
Entre tantas histórias, ele recorda como tudo começou. Conforme ele, inicialmente, o amparo espiritual era realizado de maneira itinerante.

- A nossa turma, que já era integrada por pessoas maravilhosas como Paraguassú, Candinha, Terezinha, João, vínhamos quase todos do Círculo da Luz. Éramos cinco, todos dentro da minha caminhonete. Nós atendíamos nas casas. Foi um trabalho maravilhoso. Depois, ao fundarmos o Centro Espírita, continuamos os atendimentos, porém com endereço fixo.

Após algum tempo de funcionamento da Casa, Adroaldo passou a trabalhar com Reiki. Ele relata que a primeira vez que aplicou a técnica, pediu a permissão do Paragassú que já era dirigente da casa.

- Apliquei a energia em uma pessoa, até então encaminhada por desarmonização, e pedi para que Paraguassú a avaliasse. Ele viu que ela estava com seus chackras perfeitamente alinhados, logo, como nunca havia solicitado nada, pedi para ele uma cabine, “Vamos abrir e fazer o magnético”, disse pra ele.

- Eu e a Sandra Bernardes fomos os primeiros a trabalhar com Reiki. Depois a Sandra ficou como psicóloga do centro espírita e eu continuei no magnético.

- Participei da diretoria, mas pedi para sair do centro. Quando voltei, continuei aplicando o Reiki, energia cósmica universal, energia amorosa, Cristo e Deus no trabalho, excelente. A energia do Reiki contribui muito para a harmonização da Casa - comenta.

Ao contar diversos episódios envolvendo o atendimento com essa técnica, ele demonstra sua satisfação em trabalhar com ela, em virtude dos resultados obtidos, tanto no emocional como no mental e no físico das pessoas.

- Pouca gente sabe, mas uma vez eu atendi uma presidiária aqui. A carcereira era quem a trazia. Eu achei aquilo muito legal da parte dela. A carcereira me dizia “Se souberem que a trago aqui, sou demitida”. Eu disse que ela estava prestando um trabalho maravilhoso... Para encurtar a história, o trabalho com o Reiki mudou a cabeça daquela mulher, até do presídio ela saiu. A presidiária sofria com a não aceitação da família. Então todas as vezes que a atendia, pedia para que ela mentalizasse um a um da família e todas as pessoas com quem convivia no presídio. Um dia ela disse para mim: “Já começaram a me aceitar em casa”. Depois, na última visita, a carcereira chegou para me agradecer. Graças a Deus a mulher saiu do presídio, sua mentalidade mudou. São histórias como essas que me fazem comprovar como este trabalho é maravilhoso. Às vezes as pessoas podem pensar que levo isto como vaidade, mas só quero demonstrar os benefícios dessa energia poderosa.

Adroaldo também destaca que, ao se aplicar a técnica, o importante é observar o grau de melhoria dentro do quadro de cada pessoa e os reflexos positivos em suas vidas.
Antes de terminarmos a entrevista, ele fez questão de ressaltar a importância da harmonia dentro de um centro espírita.

- Precisamos respeitar os colegas. Lealdade e harmonização é o espírito que deve reinar dentro de uma casa espírita. Se um colega teu quer a tua ajuda, tu tens que ajudar. Quem não é bom para os seus, não é bom para os outros. O respeito pelo próximo, a valorização das pessoas é muito importante. Por isso, também gosto de trabalhar com o Reiki, porque me ajudou muito no meu desenvolvimento pessoal e mediúnico. Além de trazer benefícios para a harmonização do próprio Cele.
Atualmente, Adroaldo atende às terças-feiras na cabine de passe magnético, tanto no turno da tarde quando da noite. Para o atendimento nessa cabine, é preciso que a pessoa receba o encaminhamento da triagem ou da orientação espiritual.

(Entrevista publicada no Jornal do CELE Fala Chiquinho! de Junho 2008 por Janine Pontes)

Comentários