Notas da esperança

Se algum dia vieres a cair, levanta-te e anda. Recorda que ninguém recebe um corpo na Terra para estações de repouso.

Todos nós — seja no Plano Físico ou na Vida maior — somos chamados à construção do bem. E o bem aos outros será sempre a garantia de nosso próprio bem. Se dificuldades repontam da estrada, não te omitas. Segue adiante, reconhecendo que nos cabe a todos ofertar esforço máximo para que se realize o melhor em nós e em derredor de nós. Não pares. A estagnação é ponto obscuro no caminho em que, bastas vezes, os mais nobres valores da existência se corrompem. Não existe fatalidade para o mal, porquanto, o bem geral triunfa sempre.

Os únicos vencidos no movimento criativo da vida são aqueles que descreram de Deus e de si mesmos, apagando-se, pouco a pouco, no vazio do nada a fazer; os que atravessam o tempo, perguntando o porquê das ocorrências e das cousas, sem se dar ao trabalho de conhecer-lhes a origem, a fim de aperfeiçoar-lhes resultado e proveito; os que se instalam nas torres de marfim do exclusivismo, temendo os problemas que possam surgir no relacionamento com o próximo; os que não acreditam na obrigação de trabalhar, incessantemente; e os que se observam caídos nessa ou naquela falta sem a precisa coragem de se reerguerem para começar de novo a tarefa construtiva a que se propõem.

Ainda mesmo que tudo te pareça amargura e sombra na paisagem da mor adia, não esmoreças e continua agindo e servindo, porque a fidelidade ao trabalho te iluminará o coração, a fim de que não te afastes do caminho para o encontro com Deus.

(Francisco Cândido Xavier por Emmanuel. In: Algo mais)
Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: Geraldo V Laps

0 Comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *