Nossa Vida Mental


As almas ingressam nas responsabilidades que procuram para si mesmas. Segundo talhamos o nosso perfil moral, angariamos os favores das oportunidades de serviço diante das Leis Universais. Ninguém foge aos estigmas da viciação com que sulca a estrutura da própria vida. Paz significa vitória da mente sobre os seus próprios atributos.

Resguardemos, assim, a vida mental, na certeza de que o teor da nossa meditação condiciona a altura de nossa tranquilidade. Nada ocorre conosco sem resultado específico.
  • Teimosia no erro - conta agravada.
  • Ausência de disciplina - débito permanente.
  • Remorso - aviso da consciência.
  • Reajustamento - estágio na enfermidade.
Multiformes ocorrências no mundo interior anunciam constantemente o clima de nossa escolha.
A tempestade é precedida dos indícios inequívocos que lhe configuram a extensão.

De igual modo, através da análise real de nós mesmos, encontramos o exato esboço das futuras experiências. À vista disso, ante a luz do Evangelho, ninguém desconhece a essência do destino que se lhe desdobra ao porvir. A Justiça da Lei tem base na matemática.

E quem possui parcelas determinadas pode ajuizar perfeitamente quanto à soma disso ou daquilo. Entrega-te, pois, a novos haustos de esperança e supera as próprias limitações, atendendo aos apelos do amor que ecoam das Alturas.

Reúne humildade e serviço, simplicidade e perdão, estudo e caridade, bondade e tolerância, no esforço de cada dia, e com semelhante fragmento de amor e luz levantarás o templo divino de tuas mais belas aspirações, diante da Eternidade.

ANDRÉ LUIZ
(Do livro "IDEAL ESPÍRITA", 56, edição CEC)

Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: Geraldo V Laps

0 Comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *