São de Deus os nossos pais

Enquanto as flores brotam nos jardins, elaborando cores e aromas, é Deus interessado no embelezamento e conforto da Terra.

Enquanto as aves, ágeis e belas, singram os ares e por toda parte entoam seus cantares, é Deus desejoso de ensinar ao mundo as lições da liberdade atrelada à alegria das Alturas.

Enquanto, na intimidade do infinito, se movem os astros, luminosos uns, iluminados outros, no seu giro continuado por meio de órbitas soberbas, é Deus que nos quer demonstrar o valor da ordem e da disciplina, seja qual for a nossa posição entre todos, sem que deixemos de ser nós próprios, mas sem fugir dos itinerários que a Ele, com certeza, nos conduzirão.

Enquanto a colméia e o formigueiro fervem com a azáfama dos operosos insetos, que acabam sendo exemplos para muitos humanos, é Deus que anseia a nos mostrar o valor do labor em equipe e a bênção do trabalho para toda a criação.

Enquanto, no regaço de uma mãe ou nos fortes braços de um pai, houver uma criança chorosa ou risonha, por entre cuidados, afagos e beijos de ternura, é Deus informando à humanidade quão inesgotável e profundo é o Seu amor pelos filhos que se desenvolvem pelos roteiros das existências.

E se Deus nos aproxima dos pais, a fim de que nos atendam e que nos amem tanto, somente seremos merecedores do mundo novo e aperfeiçoado do futuro, se os amarmos também, agradecidos por tudo o que lhes devemos, apaixonados por tudo que representam em nossas jornadas e emocionados por simbolizarem junto a nós as excelências do supremo amor do nosso Pai Criador, que nos injeta as energias indispensáveis e poderosas, de modo a conseguirmos a superação dos nossos limites e ascendermos às luzes das estrelas.

Rosângela C. Lima

Mensagem psicografada por Raul Teixeira, em 27.02.2006, na Fazenda Recreio, em Pedreira-SP.

Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: CELESFA

0 Comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *