Ontem foi o dia da árvore!!!



As árvores

Permita-me dizer que devemos respeitar as árvores, em todas as seqüências das suas qualidades, desde a vegetação que entapeta a terra na beleza natural, aos grandes e ciclópicos arvoredos que servem à humanidade em diversos afazeres, que as máquinas rasgam e aprimoram e que o artesão sabe embelezar. Elas entregam as suas vidas para o cumprimento da lei, crescendo em mudanças incontáveis para o progresso.
Não destrua o que a natureza sabe proteger, não abuse da vida que vive no bem vegetal, caminhando para mover-se no animal, nos primeiros passos dos rudimentos da locomoção. Quem procura proteger o campo imenso da clorofila está protegendo a si mesmo.
A árvore é dotada de uma consciência que dorme, mas que, mesmo dormindo, trabalha por sugestão dos anjos. Não conhecemos o fenômeno extraordinário da fotossíntese? Tudo é feito em favor dos que sentem e pensam, dos que se movem e esperam novo amanhã.
As árvores são nossas irmãs; os seus galhos são braços a nos procurar proteção e a nos proteger, procurar amor e a nos amar na sua dimensão. A sua seiva é seiva de vida e medicamento para todos os males e quem busca entendê-la em todos os seus recursos é sempre inspirado pelos gênios de todas as vegetações. As suas qualidades são imensuráveis, por serem abençoadas por Deus, desde os primórdios da sua existência. Elas também são filhas do amor.
É muito interessante saber que existem árvores que andam; suas próprias raízes caminham muitos metros, arrancando a vida do solo, no silêncio da noite, buscando adiante, no impulso de mover-se, sonhando com o reino animal, assim como existem animais que já sentem rudimentos do pensamento e homens que já conhecem a função da intuição. Isso é o amor de Deus manifestando-se na criação. As árvores não podem viver sem água, são organismos vegetais, e qual o ser humano, possuem todas as funções de vida em escala inferior. Também elas amam, sintonizam-se e se alimentam. As suas raízes são movidas por hábeis inteligências; elas sabem onde existe água e vão em busca desse líquido maravilhoso. Atraem uma gotinha d''água do seio da terra até quinze metros de distância, por leis que escapam à razão do homem, não escapando, no entanto, à razão do espírito.
A seiva sobe e desce por forças que a ajudam na caminhada, assim como o homem tem veias por onde circula o sangue, irrigando todo o complexo humano. Essa seiva circula no corpo vegetal, dando-lhe vida, em função de trocas inexplicáveis, em que a natureza opera com sabedoria.
Existem muitas falanges de anjos que trabalham nas comunidades dos vegetais; a alegria entre eles é divina operação, na qual trabalham os seres menores, de variadas espécies, como se estivessem em uma escola vegetal: aprendem ali os primeiros rudimentos do dever. Eles respeitam as leis e são obedientes aos instrutores que os dirigem e orientam.
Aos homens compete, por lei, respeitar as árvores que, quando necessário, doam as suas vidas para curar enfermidades e confortar as criaturas, mas que também se revoltam contra a ganância dos malfeitores e lhes respondem à altura, por meios que desconhecem.
Não brinquemos com a natureza. Estudemo-la! Só estudando poderemos ser felizes mais depressa. A única força que pode acalmar todos os reinos e fazê-los escravos para doar sempre o que têm é o AMOR.
Meditemos nisso e passemos a ver nas árvores, irmãs na retaguarda, à procura de um lugar que o progresso lhes garanta por lei de Deus.

Ajuda, que a vida, pelas vias da natureza, não te esquecerá.

Do livro: Canção da Natureza
João Nunes Maia pelo espírito Kahena.
(Enviado pelo Pedro Gonzaga do nosso CELE)
Compartilhe no Google Plus

Sobre o autor: Geraldo V Laps

0 Comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *