Crescendo com os Sonhos




Entrevista com Djalma Argollo, autor do livro Sonhos - interpretação dos sonhos à luz da psicologia
e do espiritismo - publicado pela Casa dos Espíritos Editora



Interpretação de sonhos lembra algo relacionado a adivinhos e oráculos. Fale sobre o assunto.

O sonho é um produto do inconsciente. Ele representa o resultado de uma tensão entre o consciente e o inconsciente. Ao interpretar um sonho, o psicoterapeuta não adivinha, interpreta o simbolismo onírico.

Qual a importância de se estudar os sonhos? Por que valorizar algo que parece tão fantástico?
Estuda-se o sonho porque ele é um meio de acesso ao inconsciente do sonhador. A interpretação dos sonhos é tão antiga quanto a própria humanidade. Na Idade Moderna, foi Sigmund Freud que, em 1900, demonstrou cientificamente o valor da interpretação do sonho para identificar e curar patologias psíquicas.

Existe relação entre os conteúdos oníricos e a mitologia?
Sem dúvida, pois os mitos são formas de projeção dos arquétipos na consciência.

Há apenas uma interpretação adequada a determinado sonho, ou são possíveis múltiplas interpretações acertadas?
O sonho pode ser interpretado a nível de objeto ou de sujeito. Ou seja, naquilo que ele representa em si mesmo ou como representação simbólica.

Quem está habilitado para auxiliar na interpretação de sonhos?
Quem possua conhecimento de mitos, símbolos, e de como funciona a psiquê. Interpretar um sonho é uma tarefa que exige uma interação entre analista e analisado, o qual é o único a poder validar uma interpretação do seu sonho.

Qual é a relação do conteúdo dos sonhos com o desdobramento, isto é, as experiências que o ser espiritual vive fora do corpo, enquanto dorme? Como diferenciar uma coisa da outra?
As atividades do espírito fora do corpo são apropriadas pelo inconsciente, o qual as utiliza para retratar o que se passa na mente do sonhador. A diferença entre desdobramento e sonho está no fato em que um desdobramento é objetivo e claro.

Em seu livro Sonhos: interpretação dos sonhos à luz da psicologia e do espiritismo, você dá algumas dicas para facilitar a recordação dos sonhos. É possível reproduzir algumas delas aqui?
Acima de tudo, começar por valorizar os sonhos, vendo neles uma possibilidade de explorar a própria psiquê. A atenção é um fator que estimula a recordação dos sonhos.

Comentários